quarta-feira, 16 de agosto de 2017

ESTRATÉGIAS DO INIMIGO.
Juízes 1.6,7
A crueldade de Adoni-Bezeque ilustra algumas estratégias do inimigo contra nossas vidas. Entenda o que isso representa:
1- Os polegares dos pés - EQUILÍBRIO:
Adoni-Bezeque cortava os polegares dos pés dos reis que derrotava para que não tivessem como se equilibrar corretamente.
Uma estratégia maligna de satanás é fazer que os crentes sejam desequilibrados e inconstantes (Tiago 1.8 e 4.8).
2- Os polegares das mãos - FORÇA E IDENTIDADE.
Adoni-Bezeque também cortava os polegares das mãos dos setenta reis que derrotou. Isso era para que não tivessem forças para pegar qualquer coisa.E não tivessem mais identidade 
O inimigo tenta enfraquecer a vida do cristão para que não tenha forças para receber as bênçãos de Deus para sua vida.
3- As migalhas debaixo da mesa - MISÉRIA:
Adoni-Bezeque humilhava os reis que derrotava para que ficassem prostrados e dependessem dele para comer as sobras que caiam de sua mesa.
O inimigo tenta nos roubar as bênçãos do Senhor e nos fazer sofrer (João 10.10). Deus tem vitória para nossas vidas e não migalhas (Mateus 15.27,28).
Satanás sabe que somos filhos do Rei, por isso nos persegue. Jesus veio para destruir as obras do inimigo (I João 3.8) e desmascarar suas mentiras (João 8.32). Não seja desequilibrado, busque a força de Deus e não fique catando migalhas, porque Deus tem o melhor para você, então faça o melhor para Deus.
Bispo Anderson Camargo.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

A parábola da cana e do carvalho
Um conceito judaico dos ensinos de Jesus aparece nas parábolas, exemplo de quando ele se dirige para uma multidão e pergunta a respeito de João, o batizador:
“Enquanto saíam os discípulos de João, Jesus começou a falar à multidão a respeito de João: "O que vocês foram ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento?” (Mat. 11: 7)
Existia uma parábola bem conhecida no judaismo do primeiro seculo conhecida como “o carvalho e a cana”. Sem um entendimento dessa parábola ‘e dificil que interpretemos o imaginário que fica atrás da passagem citada.
De acordo com a parábola, um carvalho gigante e uma cana estavam juntas planatadas na margem do rio. No momento de uma tempestade, as raízes do carvalho se mantinham firmes, permitindo a resistência diante dos ventos.
Porem, ele poderia cair diante de um vento de maior capacidade.
Não havia nada comprometedor em relação ao carvalho. A cana por outro lado se dobraria de um lado para outro, mesmo diante de uma leve brisa.
A conclusão da historia era que o carvalho, diante de sua recusa de comprometimento poderia perder a vida na tempestade, mas a cana iria sobreviver diante ao fato de se dobrar pelas circunstancias.
Com certeza Jesus pontuava essa historia ao perguntar sobre João, em outras palavras seria o equivalente a dizer:
“Imaginam que João, um profeta de Deus, fosse alguém sem coragem de reação?”
Os judeus que ouviram estas palavras entenderam e não mais perguntaram alguma coisa.
“Não lhes dizia nada sem usar alguma parábola. Quando, porém, estava a sós com os seus discípulos, explicava-lhes tudo.” (Marc. 4:34)
O ensino por parábolas era bem conhecido no meio judaico do primeiro seculo era conhecido como “aggadah” e literalmente milhares de historias foram preservadas. Os judeus dos dias de Jesus criam que as referencias legais eram por decisão, porem aggadah era por inspiracão.
Podemos entender que Jesus era o Caniço o Maleavél e João o Carvalho Duro.
Veja o exemplo;O Carvalho e os Caniços.
Um grande carvalho, ao ser arrancado do chão pela força de forte ventania, rio abaixo é arrastado pela correnteza.
Desse modo, Levado pelas águas, ele cruza com alguns Juncos, e em tom de lamento exclama:
"Gostaria de ser como vocês, que de tão esguios e frágeis, não são de modo algum afetados por estes fortes ventos."
E Eles responderam:
"Você lutou e competiu com o vento, por isso mesmo foi destruído. Nós ao contrário, nos curvamos, mesmo diante do mais leve sopro da brisa, e por esta razão permanecemos inteiros e a salvo."
Moral da História:
Para vencer os mais fortes, não devemos usar a força, mas antes disso, inteligência e humildade.
De nada serve possuir grande força e pouca inteligência...
Ou seja a momentos na Vida que devemos ser duros e a outros momentos sermos mais Maleáveis, Pense bem se você não precisa realmente mais resistente ou se precisa ser mais maleável com vc mesmo,com as pessoas etc; Domingo agora estaremos falando a Cerca desse assunto creio que será uma grande benção para todos amém!!
Bispo Anderson Camargo.

sexta-feira, 28 de julho de 2017

.A SOLTURA DO JUMENTINHO.                                                                                                           
Lucas 19:28-38 Antes de chegarem a Jerusalém Jesus dá ordem a seus discípulos para irem a uma cidade chamada Betfagé, que ficava ao leste de Jerusalém, perto de Betânia, na encosta sudoeste do monte das oliveiras, cujo nome significa literalmente “casa de figos verdes”, e que não é mencionada em nenhum outro lugar das escrituras a não ser na passagem da entrada triunfal. Jesus disse que quando lá chegassem encontrariam um jumentinho amarrado, e que era necessário que o soltasse e o trouxessem, e que se alguém dissesse alguma coisa era para eles dizerem: O mestre precisa dele! Essa frase iria revelar aos donos do animal a importância de que aquele animal fosse levado.

Assim partiram os discípulos para o local e lá chegando logo avistaram o jumentinho preso e quando eles estavam desamarrando o animal os donos logo viram e vieram e perguntaram o que eles estavam fazendo, ou aonde iriam levar o animal, ou talvez com que ordem eles soltavam o jumentinho. No que tiveram como resposta: O mestre; Jesus; o Senhor, (palavras que indicavam a pessoa direta de Jesus) precisa, necessita do animal. A bíblia não registra nada sobre os donos desse animal, mas se o fizesse eles estariam entre os muitos dos citados em Hebreus 11, pois ao ouvirem que o Mestre precisava do animal, logo creram. Imaginem que fé maravilhosa eles demonstraram ao cederem seu animal “zero bala” para o Mestre, veja por que.

Bem sabemos que cultura é algo extremamente complexo, e os judeus ainda são um povo que guarda suas culturas, aquele animal ao ser chamado de jumentinho denota que era um animal de pouca idade e uma coisa interessante é que naqueles dias considerava-se que um animal que jamais fora usado no trabalho ou montado por alguém era especialmente adequado para propósitos santos como o Eterno já havia dito (veja Nm-19:2; Dt-21:3).

“Não há nada que você entregue a Deus e não volte super valorizado para você, e aquilo que Deus nos dá super valorizado não tem preço.”. Imagine o quanto aquele animal passou a valer depois que Jesus montou nele!

Assim soltaram o jumentinho e o levaram até Jesus que logo montou no animal e entrou em Jerusalém em um dia que marcou a história da humanidade para sempre.   

A palavra hebraica para amarrado é “akedá”, e Jesus mesmo estando longe viu o jumentinho amarrado, mostrando a sua onisciência, o viu seguro por um nó, uma corda que limitava seus movimentos e então Ele manda que seus discípulos soltem o animal. Eu não sei quanto tempo aquele animal esteve preso, limitado, vendo seus pares soltos e livres, mas um dia chegou para ele à soltura, a liberdade.

Jumento no contexto bíblico também é símbolo de obediência, e nosso Senhor não suporta ver um filho obediente amarrado. Eu vim lhe dizer que ainda há uma saída para todos nós. Jesus ainda tem toda a autoridade para soltar as amarras que nos prende. Ele tem poder para livrar qualquer cativo, e soltar e desfazer qualquer nó em nossas vidas agora mesmo.
    
“Quando Jesus desceu do jumentinho com certeza mandou que alguém o levasse de volta a seu dono e o animal foi todo alegre, feliz”,Então ele foi super valorizado porque O Rei Jesus avia montado nele !..Mas ele só teve valor porque Jesus estava nele,Antes estava só e amarrado.

Na verdade nós não somos nada, mas aquele que está em nós é tudo. Ele é quem merece toda honra e toda glória. É por isso que podemos chegar longe, mas não saia de sob a presença de Jesus, Ele é quem faz de nós uma pessoa notada, mas se Ele sair de sua vida, você não é nada.
Bispo Anderson Camargo

quinta-feira, 20 de julho de 2017

AS FILHAS DE ZELOFEADE
“As filhas de Zelofeade falam o que é justo; certamente, lhes darás possessão de herança entre os irmãos de seu pai e farás passar a elas a herança de seu pai.” (Nm 27:7)
A Bíblia relata a história de cinco mulheres especiais, de cinco filhas de Deus que não se conformaram com a condição de exclusão sobre suas vidas e que foram precursoras em sua época. Me refiro as filhas de Zelofeade, as “filhas da herança”
Zelofeade era da tribo de Manassés que acabou padecendo no deserto. Embora não tendo participado daqueles que “congregaram contra o Senhor”, Zelofeade morreu no seu próprio pecado, por acreditar nos espias murmuradores e descrentes(Nm 27:3). Porém diz a Bíblia que cinco de suas filhas achegaram-se a Moisés para reivindicar a herança de seu pai. Até aquele momento, a lei hebraica só concedia direito aos filhos, porém as filhas de Zelofeade não possuíam irmãos.
Diz as Sagradas Escrituras que Moisés levou a causa delas ao Senhor e intercedeu por elas. A resposta do Senhor foi positiva as filhas de Zelofeade.
O livro de Salmos no cap 84 diz que o Senhor não sonegará bem algum aos que andam na retidão, ou seja, que andam retamente (Sl 84:11b).
Por falarem e por viverem uma vida reta diante do Senhor as filhas de Zelofeade alcançaram o favor do Senhor e receberam a possessão por herança da parte do Senhor (Nm 27:7;36:2).
E através da vida e do pedido daquelas mulheres, todo aquele que não possuísse filho homem, sua herança passaria para a filha(Nm 27:8).
* O Nome delas era Macla,Noa,Hogla,Milca e Tirza.
Tanto a história das filhas de Zelofeade, bem como, o significado de seus nomes possuem um significado espiritual para toda mulher que deseja seguir a Deus.
1) Macla – O nome da primeira filha é Macla que significa “confiança“. O salmos 125 diz que aqueles que confiam no Senhor são como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre(Sl 125:1). Toda mulher deve ser “macla”, confiante em seus propósitos, que não se abala com as circunstâncias, nem esmorece ante as adversidades da vida. Macla é a mulher que confia no Senhor e por isso será bem aventurada(Sl 40:4)
2) Noa – Significa “aquela que não se detém“, que ninguém pode deter. É aquele que persevera em oração, que não é morosa, parada, detida ou interrompida. Noa é a mulher trabalhadora, que persevera em seu propósito e em conhecer Deus. É aquela mulher que crê até o fim, até que o plano de Deus seja cumprido em sua vida e sob aqueles que o cercam. É a mulher determinada e cheia de fé como a sunamita dos tempos de Eliseu (2 Rs 4:8-37).
3) Hogla – Significa “aquela que não anda com os pés amarrados” . Que não está amarrada aos cuidados deste mundo, mas que anda pela fé em Deus todos os dias de sua vida. Por não ser “amarrada” se assemelha a um “navio mercante que sai de um lugar a outro trazendo mantimento a sua casa (Pv 31:14-15) Hogla é a mulher abnegada, desprendiosa e fiel a Deus
4) Milca – Milca significa “aquela que tem autoridade“. Existe diferença entre ter autoridade e ser autoritária. Milca representa a mulher com autoridade sem ser insubmissa. Uma mulher respeitada por seu marido, por seus filhos e por sua comunidade (Pv 31: 28-31)
5) Tirza – Por fim, Tirza, que significa “deleite“, a delícia da vida e prazer de Deus. É a menina do seus olhos como Israel , a noiva(Igreja). “Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração.” (Sl 37:4)
Certamente elas conversando entre si e dizendo uma pra outra: Vamos lutar pelo que nós confiamos, com coragem! Precisamos mostrar a todos que confiamos no Deus a quem nós servimos, não é a toa que meu nome significa CONFIANÇA, a outra diz isso mesmo, não podemos ficar aqui paradas, não vamos nos DETER, pois não estamos com nossos pés amarrados, vamos lá falar agora mesmo com Moisés. Então elas vão até lá, mesmo correndo o risco de serem apedrejadas pois lá havia muita gente, estavam numa reunião com Moisés, os príncipes, o sacerdote, mas elas se arriscaram mesmo assim. Porque naquela época as mulheres não tinham direito de falar e muito menos numa reunião para decidir as posses de terra, elas vão destemidas e com ousadia.Quem fala é Milca, a que tem AUTORIDADE. Então Moisés as escuta e diz: Esperem aqui, que eu vou aqui ter um particular com Jeová, vou falar com o meu Deus e volto já com a resposta. E enquanto Moisés está falando com o Senhor, parece que posso ouvir os cochichos dos que estavam ali, dizendo: elas não já sabem que não tem direito, como elas tem coragem de vir aqui, a lei diz que elas não vão receber nada, porque são mulheres. E grande foi a surpresa pra muitos quando Moisés volta com a resposta. Porque alguém já olhava pra elas como quem diz: Coitadinhas delas, não tem direito! Mas a resposta de Deus foi impactante! Deus manda Moisés mudar a lei pra dar vitória as filhas de Zelofeate. E Moisés chama as cinco e parece que vejo Moisés olhar nos olhos de Tirza e dizer descansem, se DELEITEM pois será dado a vocês a herança de vosso pai. E elas se abraçam felizes e grande foi a emoção, elas diziam, eu tinha certeza que Deus estava do nosso lado.
Nosso Deus é o justo Juiz, e a tua causa entrega perante o Senhor, assim como Moisés entregou ao Senhor a causa daquelas mulheres. Por causa delas até quem não tinha direito, agora vai ter. Porque assim estava escrito: “Quando alguém morrer e não tiver filho, então fareis passar a sua herança à sua filha. E, se não tiver filha, então a sua herança dareis a seus irmãos. Porém, se não tiver irmãos, então dareis a sua herança aos irmãos de seu pai.
Se também seu pai não tiver irmãos, então dareis a sua herança a seu parente, àquele que lhe for o mais chegado da sua família, para que a possua.” (Nm 27:8-11).
Deus muda lei, quebra protocolo mas dá vitória a quem é filho seu. Até o último da fila vai receber, não importa se você estava no final da fila de espera! Você é herdeiro de Deus, toma posse do que é teu. O direito é teu!
Todas as filhas de Zelofeade receberam a sua herança pela retidão que tiveram a Deus. Seus nome e significados, apresentam cabalmente o relato da mulher virtuosa. Portanto aprenda com elas e como Macla, aprenda a CONFIAR, como Noa, não te DETENHAS, como Hogla, não se AMARRE e vá a luta, pois como a Milca Deus te deu AUTORIDADE e por fim assim como fez Tirza, DELEITA-TE no Senhor porque ele concederá o que deseja o teu coração!!
Bispo Anderson Camargo.

terça-feira, 11 de julho de 2017

Enterre seus “mortos” e siga Jesus!
O primeiro servo disse: Jesus seguir-te-ei para onde quer que fores. Mas Jesus lhe respondeu: As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça. Ao segundo servo disse Jesus: Segue-me! Ele, porém, respondeu: Permite-me ir primeiro sepultar meu pai. Mas Jesus insistiu: Deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos. Tu, porém, vai e prega o reino de Deus. O terceiro servo disse a Jesus: Seguir-te-ei, Senhor; mas deixa-me primeiro despedir-me dos de casa. Mas Jesus lhe replicou: Ninguém que, tendo posto a mão no arado, olha para trás é apto para o reino de Deus. Lucas 9:57-62.
O texto acima a princípio parece muito severo, porque Jesus é enfático quando afirma que aquele que deseja segui-lo deve deixar tudo para trás, casa, conforto, bens, famílias e mortos. Mas para entender melhor esse texto, é necessário considerar os contextos dos ensinamentos de Jesus. É claro que Deus quer que cada um cumpra com suas responsabilidades sociais e familiares, mas dentro do contexto devemos ter em mente que Jesus quer trazer para fora, do nosso interior, tudo o que nos IMPEDE, momentaneamente, de segui-lo. Jesus nunca ocultou o que se requer daqueles que Ele chama para segui-lo, e os maiores obstáculos não se encontram no caminho a percorrer, mas nos corações e almas; para nos ajudar a descobri-los, o Senhor traz o entendimento sobre quais são os verdadeiros “mortos” que impedem o povo de Deus de segui-lo. No texto acima encontramos três perfis de servos, mas somente um recebeu o chamado para seguir Jesus, mas este tinha algo para resolver antes de segui-lo, ele precisava enterrar o seu morto.
O termo “enterrar seus mortos” vai além do ato de sepultar cadáveres, é algo que está ligado diretamente ao mundo espiritual e ao sacrifício de Jesus Cristo na cruz. Jesus morreu, justamente, para matar tudo aquilo que nos faz mal! Jesus morreu para MATAR, DESTRUIR, EXTINGUIR e VENCER as maldições, as enfermidades, as mágoas, as amarguras, as angustias, os sofrimentos, a rejeição, as dores da alma, o pecado e a própria morte. Tudo o que nos impede de alcançar a salvação foi morto na cruz juntamente com Cristo, mas somente Jesus Cristo ressuscitou. Aleluia! Cristo consumou o Seu sacrifício morrendo para nos libertar, e agora precisamos consolidar o Seu sacrifício, “enterrando os mortos que Jesus matou na cruz”, e que insistem em permanecer vivos, como fantasmas, assombrando nossas as vidas e nos impedindo de seguir os passos de Jesus.
Perder alguém que amamos é algo doloroso demais, principalmente para aqueles que acreditam que a morte é o fim, mas para o Cristão deve ter um peso diferente; porque em 1º Tessalonicenses 4:13 e 14, diz que: não devemos ser ignorantes acerca dos que já morreram, para que não nos entristecemos como os demais, que não têm esperança. Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele. Existem pessoas cristãs que choram por “seu morto” há anos e não conseguem superar a dor; relutam em sepultar a dor e a revolta que os consomem dia e noite. Muitos preferem tornar-se escravos da INCONFORMIDADE e SOFRIMENTO, do que aceitar a morte e abandonar o LUTO. Aceitar a morte não é um processo fácil, mas é possível; basta crer que Deus é poderoso para ajudá-lo a enfrentar esse momento com mais serenidade e FÉ.
Para vencer a revolta e a dor é necessário abrir o coração e deixar Deus trabalhar; após a cura a saudade se tornará num sentimento de boas lembranças e o Espirito Santo devolverá a alegria de viver. O cristão precisa aceitar que Deus é Senhor absoluto dos vivos e dos mortos.
Existem outros tipos de “MORTOS” que escravizam os servos de Deus, a amargura, a mágoa, o pecado não confessado e a falta de perdão. Esses sentimentos aprisionam a alma e geram morte espiritual e física; existem estudos que comprovam que amarguras e falta de perdão desenvolvem doenças psicossomáticas e até mesmo o câncer. O próprio salmista Davi escreveu que: Quando calei o meu pecado envelheceram os meus ossos. Geralmente a mente é levada cativa por forças do mal, geralmente quando somos feridos por alguém ou passamos por frustrações, e se não conseguimos superá-las, somos atropelados por danos psicológicos, as chamadas doenças da alma e ficamos aprisionados.
Existem pessoas que alimentam os “seus mortos” todos os dias, como se fossem uma planta que precisa ser regada para não morrer. Pessoas que usam os “seus mortos” como uma motivação para as suas vinganças pessoais, principalmente na área conjugal. Muitas esposas guardam mágoas de seus maridos por não ter conseguido liberar perdão e permitem que a amargura se torne sua conselheira. Maridos feridos deixam de tratar suas esposas com honra e carinho e fazem da indiferença uma muralha invisível entre o casal. Filhos que não falam com seus pais por causa de ressentimentos não superados e pais que não se importam mais com seus filhos rebeldes.
Apesar de todo esse caos emocional, causado pelas dores da alma, a situação ainda pode piorar. Existe outro tipo de “morto” que escraviza a alma e fere o corpo, as enfermidades! Os servos de Deus têm sido hospedeiros desse “morto” que já foi vencido por Jesus na cruz. Muitas pessoas clamam a Deus pedindo a cura, e não recebem porque não tem o entendimento de que Jesus já venceu as enfermidades, não podemos pedir algo que já nos pertence!
Amados, viver carregando os “mortos que Jesus matou na cruz” é ignorância! As mágoas, amarguras, falta de perdão e enfermidades são defuntos em estado de putrefação que precisam ser “enterrados”! Os filhos de Deus precisam entender que todos esses “mortos” já foram mortificados com Cristo na cruz e a insistência em carrega-los é uma atitude que invalida o sacrifício de Jesus Cristo. Como servos de Jesus temos que entender essa verdade e partir para ação!
O primeiro passo é crer, o segundo é identificar os mortos que precisam ser enterrados, o terceiro passo é partir para o ataque! “Enterrar os mortos” e uma atitude de fé; basta fazer uso da autoridade que Jesus nos deu, e ordenar ao diabo que, pegue os seus restos mortais e caia fora da mente, do corpo e da vida! Somente assim os servos de Deus ficarão sarados e livres para seguir Jesus.
Para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías, que diz: Ele tomou sobre si as nossas dores e nossas enfermidades, e levou as nossas doenças. Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. Mateus 8:17 / Romanos 8:1.
Bispo Anderson Camargo.

terça-feira, 4 de julho de 2017

Aprendendo com a menina da Casa de Naamã.
E saíram tropas da Síria, da terra de israel e levaram presa uma menina que ficou ao serviço da mulher de Naamã.
E disse esta à sua senhora: Antes o meu senhor estivesse diante do profeta que está em Samaria; ele o restauraria da sua lepra.
2 Reis 5:2,3
Podemos aprender muitas lições com essa jovem que foi levada cativa para casa de Naamã, era uma condição que nenhuma jovem gostaria de estar, com certeza ela tinha seus sonhos, seus projetos, mas tudo isso foi interrompido quando ela foi levada como escrava.
Ela poderia ter se revoltado e ter ficado de um certo modo decepcionada com Deus, mas sua fé não era baseada em situações e sim em princípios, mesmo trabalhando como escrava sua fé no Deus de Israel permanecia inabalável.
Podemos observar pelo menos três condições adversas na sua vida.
Ela estava separada da sua família
Era muito comum naquela época isso acontecer, sempre quando alguém era levado como escravo, o povo dominante costumava fazer essa separação.
Ou seja sei pai, sua mãe, seus irmãos caso ela tivesse, não estavam ao seu lado para lhe dar uma palavra de instrução ou conforto, mas o Senhor estava com ela e isso já era suficiente.
Ela estava servindo como escrava.Ela era líder de suas emoções, Ela não se deixou se abater por nada, ELA NÃO É ESCRAVIZADA PELA DOR DA ANGUSTIA, É SERVA DA SUA MISSÃO !!!!...
Imagine você ser forçado a trabalhar onde você não quer, e fazer aquilo que você não quer, assim era a situação dessa jovem, poderíamos até mesmo aprofundar um pouco sobre como era a vida de um escravo nesse tempo, mas esse não é nosso proposito.
Ela estava em terra estrangeira
E pra ela era difícil, pois era filha de Abraão e herdeira da promessa, sua vida foi impactada por essa mudanças, ela não estava com seu povo , ela não estava na sua casa.
Mas mesmo com todas essas adversidades ela deu testemunho do seu DEUS.
Podemos destacar 3 qualidades espirituais dessa jovem.
Uma jovem cheia do amor de Deus
Quando Deus ordenou que o profeta Jonas anunciasse uma mensagem de salvação aos ninivitas, ele se revoltou contra Deus, pois achou que Deus estava sendo injusto em querer salvar aqueles que eram considerados inimigos de Israel.
Uma posição completamente reprovável pois Deus é amor e misericórdia.
Essa jovem poderia ter pensado assim:
“Naamã é inimigo e opressor do meu povo, deixa esse maldito morrer de lepra “
Mas ela não fez assim, mas demonstrou seu amor ao próximo ao pregar sobre o Deus de Israel para Naamã e sua esposa.
Uma jovem de Fé
Essa jovem mostrou quão firme era sua fé no Senhor, imagine se Naamã não tivesse encontrado a cura para sua lepra, como ela ficaria diante do seu senhor.
Mas ela tinha convicção e certeza que o Deus de Israel tinha poder para curar a Naamã, ELA NÃO É ESCRAVIZADA PELA DOR DA ANGUSTIA, É SERVA DA SUA MISSÃO !!!!...
Ela não duvidou no poder do seu Deus, Deus honra quem tem honra e sem fé é impossível agradar a Deus. (Hb 11:1)
Uma jovem cheia de Ousadia
Geralmente os escravos era limitados ao falar com seus senhores, mas o verso 6 nos demonstra sua ousadia em pronunciar a palavra de Deus.
Ela não se intimidou mas proclamou sobre seu Deus com fé e autoridade.
Infelizmente a bíblia não cita seu nome , e nem mesmo o que aconteceu com ela depois que Naamã foi curado, mas posso imaginar que sua situação na casa de Naamã foi transformada.
NUNCA SEJA ESCRAVO(A) DAS ANGUSTIAS,TRISTEZAS,ETC SEJA SERVO DA SUA MISSÃO CONTINUE FALANDO DE DEUS EM TODAS E QUAISQUER SITUAÇÃO DE SUA VIDA AMÉM !!!
Bispo Anderson Camargo.