sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Natanael debaixo da figueira
O que significa o que Jesus disse pra Natanael: “Te vi debaixo da figueira“? Esta questão sobre Natanael debaixo da figueira é muito intrigante. Vejamos duas teorias sobre este assunto tão palpitante.
Primeira Teoria
Natanael ficou surpreso com a Palavra de Jesus, porque desta forma Cristo deixou claro que seu propósito em salvar Natanael já estava determinado antes mesmo de Filipe o chamar.
Ao nascimento de Cristo, Herodes era governador da Judéia e ao receber a notícia do nascimento do Messias mandou matar todas as crianças de 2 anos para baixo. Então se considerarmos que Natanael tivesse a mesma idade de Jesus, isso o leva ao cenário destas matanças realizada por Herodes, segundo relatos históricos essa é a historia de Natanael.
Quando começou os assassinatos a mãe de Natanael temeu que o seu filho ser morto pelos soldados, e então ela escondeu o bebê debaixo de uma figueira especifica, e enquanto ele estava lá, sua mãe orava a Deus pedindo proteção e que aquela criança vivesse para ver o Messias.
Em todas as buscas dos soldados, o menino estava envolta a folhas da figueira. Quando Natanael completou 15 anos de idade sua mãe lhe contou como lhe escondera, e somente ele e sua mãe sabiam desta história. Então quando ele pergunta a Jesus de onde Ele o conhecia e Jesus revela seu maior segredo ao dizer que o viu debaixo da figueira, Natanael se vê diante daquele ao qual sua mãe orou para que pudesse conhecer.
Segunda Teoria
Não havia nada no Antigo Testamento que predissera que o escolhido de Deus viria de Nazaré. Nazaré era um lugar muito pouco notável. O próprio Natanael provinha de Caná, outra cidade da Galiléia, e nas regiões rurais a rivalidade entre uma cidade e outra, e a inveja entre os povos era muito notória.
A reação de Natanael foi afirmar que Nazaré não era o tipo de lugar de onde pudesse vir nada de bom. Filipe foi sábio. Não discutiu. Limitou-se a dizer: “Vêem e vê!”.
No pensamento judaico uma figueira sempre representou a paz. Sua ideia de paz era quando um homem podia permanecer debaixo de sua própria figueira e sua própria vinha sem que nada o incomodasse (veja 1 Reis 4:25; Miquéias 4:4).
Mais ainda, a figueira era frondosa e dava muita sombra e era costume sentar-se a meditar sob o amparo de seus ramos. Sem dúvida, isso era o que fazia Natanael. E sem dúvida nenhuma, enquanto estava debaixo da figueira pensava e orava pelo dia em que chegaria o escolhido de Deus.
Não cabe dúvida que tinha meditado a respeito das promessas de Deus. E agora sentia que Jesus tinha lido até o mais profundo de seu coração. O que surpreendeu a Natanael não foi tanto que Jesus o tivesse visto debaixo da figueira, e sim o fato de que Jesus tivesse lido os pensamentos que estavam no mais recôndito de seu coração, de maneira que Natanael disse a si mesmo: “Aqui está o homem que entende meus sonhos! Aqui está o homem que sabe de minhas orações! Aqui está o homem que viu meus desejos mais secretos e íntimos, desejos que jamais me animei a expressar em palavras! Aqui está o homem que pode traduzir o suspiro inarticulado de minha alma! Este deve ser o Filho do Deus, o prometido ungido de Deus e nenhum outro”. Natanael se rendeu para sempre ao homem que lia e compreendia e satisfazia os desejos de seu coração.
Conclusão
Sobre Natanael, a primeira teoria é ratificada pelo dicionário siríaco, que narra esta mesma história. Podemos expandir esta interpretação dizendo que a figueira sempre foi o símbolo do “conhecimento”, haja vista que os grandes estudiosos crêem que a árvore do conhecimento lá do Éden era uma figueira.
Sendo assim, todo bom israelita tinha por costume meditar sob a sombra de uma figueira, portanto quando Jesus disse isso para Natanael, Ele quis dizer 2 coisas:
a) eu conheço o teu passado (teoria 1), quero estar no teu presente e garantir o teu futuro;
b) as folhas de figueira só te protegeram da morte física e do pecado, apenas superficialmente, da mesma forma que foi com Adão e Eva no Éden, mas eu troco seu esconderijo sob as folhas da figueira pelo meu sangue sobre a tua vida.
Bispo Anderson.

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Enche o teu vaso de azeite !!!!
I Samuel 16.1
Quando parece que existe algo impedindo sua vida espiritual é o momento de uma decisão e uma mudança que te retorne ao progresso que Deus tem para você.
Algumas traduções traduzem por ‘chifre’ (ARA*) e outras trazem a expressão ‘vaso’ (ARC**) para se referir ao recipiente onde estaria o azeite da unção. Muitas vezes o chifre era usado para guardar líquidos (Gênesis 22.13) e outras um vaso de barro (I Reis 22.11).
O rei Saul tinha sido ungido por Deus para governar o povo do Senhor, mas abandonou a sua fé e perdeu sua unção (I Samuel 15.11 e 26). Por isso seria preciso buscar a unção do Senhor para um novo rei.
Deus quer fortalecer sua vida com a unção que te abençoa e te levanta para vencer. Não permita que Saul tire a bênção reservada para sua vida.
O que é Saul na sua vida?
Vamos meditar sobre o que aconteceu com Saul e sobre a unção de Deus:
1- O que te atrasa e impede de crescer: 
v.1ª“Disse o SENHOR a Samuel: Até quando terás pena de Saul”.
Quando o profeta Samuel repreendeu Saul por causa de seu pecado (I Samuel 15.22), aconteceu que “virando-se Samuel para se ir, Saul o segurou pela orla do manto, e este se rasgou. Então, Samuel lhe disse: O SENHOR rasgou, hoje, de ti o reino de Israel e o deu ao teu próximo, que é melhor do que tu” (I Samuel 15.27,28), foi por isso que Deus disse que não deveria ter pena de Saul.
Saul quis segurar o profeta Samuel e sua veste rasgou de forma que o profeta disse que também seria rasgado dele o reino que perderia a partir de então (I 15.28). Então Saul representa tudo o que te atrasa em sua vida espiritual. Todo impedimento como pecado ou problemas que travam seu crescimento.
Não deixe que nada, nem ninguém, te segure ou atrase a sua vida espiritual. Deus quer que você seja totalmente livre de todo engano (João 8.32). Deus quer rasgar de sua vida “desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia” (Hebreus 12.1). Não podemos ter tolerância com o pecado (Apocalipse 2.20).
Não deixe Saul atrasar sua vida!
2- Deus tem um novo tempo pra sua vida: 
v.1b “havendo-o eu rejeitado, para que não reine sobre Israel?”.
O profeta Samuel recebeu uma ordem clara de deixar Saul para trás e ungir um novo rei para o povo de Deus. Era chegado um novo tempo para Israel. Saul estava em decadência e Davi viria com uma unção de vitória.
Terminou o tempo da rebeldia, da vaidade, do orgulho e desobediência que Saul cometia. A partir de Davi seria o tempo de um homem segundo o coração de Deus (Atos 13.22).
Deus quer te dar uma nova oportunidade e um novo tempo para sua vida espiritual. Chega de carnalidade e pecado. É preciso se consagrar e buscar a presença do Espírito Santo que te conduz em triunfo.
Viva o novo tempo de Deus para você!
3- Busque a unção que te capacita: 
v.1c “Enche um chifre de azeite e vem; enviar-te-ei a Jessé, o belemita; porque, dentre os seus filhos, me provi de um rei”.
A primeira atitude para mudar tudo seria o profeta encher o seu chifre ou vaso com azeite para ministrar a unção sobre um novo escolhido de Deus. Através desta unção Davi foi fortalecido por Deus para vencer todos os seus inimigos.
Somente através da unção de Deus somos capacitados para vencer. Sem a unção estamos fragilizados e desprotegidos. A unção de nos dá conhecimento (I João 2.20) e nos ensina o que precisamos saber (I João 2.27). Esta unção nos protege contra nossos inimigos espirituais (Salmos 23.5).
O poder do Espírito Santo é a força que precisamos para vencer todas as coisas. Por isso devemos buscar o poder de Deus que nos capacita espiritualmente (Efésios 5.18).
Busque a unção do Espírito Santo!
Receba a unção do Espírito Santo!
Não deixe que Saul segure você tente te atrasar espiritualmente. Rasgue de sua vida tudo que te impede de prosseguir para o projeto de Deus. Creia que Deus tem um novo tempo de vitórias para te levantar e abençoar tudo que tiver. Para isso você precisa buscar a unção do Senhor que te enche de poder.
Deus quer te encher do Espírito Santo! Amém !!!
Bispo Anderson Camargo.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

ESTRATÉGIAS DO INIMIGO.
Juízes 1.6,7
A crueldade de Adoni-Bezeque ilustra algumas estratégias do inimigo contra nossas vidas. Entenda o que isso representa:
1- Os polegares dos pés - EQUILÍBRIO:
Adoni-Bezeque cortava os polegares dos pés dos reis que derrotava para que não tivessem como se equilibrar corretamente.
Uma estratégia maligna de satanás é fazer que os crentes sejam desequilibrados e inconstantes (Tiago 1.8 e 4.8).
2- Os polegares das mãos - FORÇA E IDENTIDADE.
Adoni-Bezeque também cortava os polegares das mãos dos setenta reis que derrotou. Isso era para que não tivessem forças para pegar qualquer coisa.E não tivessem mais identidade 
O inimigo tenta enfraquecer a vida do cristão para que não tenha forças para receber as bênçãos de Deus para sua vida.
3- As migalhas debaixo da mesa - MISÉRIA:
Adoni-Bezeque humilhava os reis que derrotava para que ficassem prostrados e dependessem dele para comer as sobras que caiam de sua mesa.
O inimigo tenta nos roubar as bênçãos do Senhor e nos fazer sofrer (João 10.10). Deus tem vitória para nossas vidas e não migalhas (Mateus 15.27,28).
Satanás sabe que somos filhos do Rei, por isso nos persegue. Jesus veio para destruir as obras do inimigo (I João 3.8) e desmascarar suas mentiras (João 8.32). Não seja desequilibrado, busque a força de Deus e não fique catando migalhas, porque Deus tem o melhor para você, então faça o melhor para Deus.
Bispo Anderson Camargo.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

A parábola da cana e do carvalho
Um conceito judaico dos ensinos de Jesus aparece nas parábolas, exemplo de quando ele se dirige para uma multidão e pergunta a respeito de João, o batizador:
“Enquanto saíam os discípulos de João, Jesus começou a falar à multidão a respeito de João: "O que vocês foram ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento?” (Mat. 11: 7)
Existia uma parábola bem conhecida no judaismo do primeiro seculo conhecida como “o carvalho e a cana”. Sem um entendimento dessa parábola ‘e dificil que interpretemos o imaginário que fica atrás da passagem citada.
De acordo com a parábola, um carvalho gigante e uma cana estavam juntas planatadas na margem do rio. No momento de uma tempestade, as raízes do carvalho se mantinham firmes, permitindo a resistência diante dos ventos.
Porem, ele poderia cair diante de um vento de maior capacidade.
Não havia nada comprometedor em relação ao carvalho. A cana por outro lado se dobraria de um lado para outro, mesmo diante de uma leve brisa.
A conclusão da historia era que o carvalho, diante de sua recusa de comprometimento poderia perder a vida na tempestade, mas a cana iria sobreviver diante ao fato de se dobrar pelas circunstancias.
Com certeza Jesus pontuava essa historia ao perguntar sobre João, em outras palavras seria o equivalente a dizer:
“Imaginam que João, um profeta de Deus, fosse alguém sem coragem de reação?”
Os judeus que ouviram estas palavras entenderam e não mais perguntaram alguma coisa.
“Não lhes dizia nada sem usar alguma parábola. Quando, porém, estava a sós com os seus discípulos, explicava-lhes tudo.” (Marc. 4:34)
O ensino por parábolas era bem conhecido no meio judaico do primeiro seculo era conhecido como “aggadah” e literalmente milhares de historias foram preservadas. Os judeus dos dias de Jesus criam que as referencias legais eram por decisão, porem aggadah era por inspiracão.
Podemos entender que Jesus era o Caniço o Maleavél e João o Carvalho Duro.
Veja o exemplo;O Carvalho e os Caniços.
Um grande carvalho, ao ser arrancado do chão pela força de forte ventania, rio abaixo é arrastado pela correnteza.
Desse modo, Levado pelas águas, ele cruza com alguns Juncos, e em tom de lamento exclama:
"Gostaria de ser como vocês, que de tão esguios e frágeis, não são de modo algum afetados por estes fortes ventos."
E Eles responderam:
"Você lutou e competiu com o vento, por isso mesmo foi destruído. Nós ao contrário, nos curvamos, mesmo diante do mais leve sopro da brisa, e por esta razão permanecemos inteiros e a salvo."
Moral da História:
Para vencer os mais fortes, não devemos usar a força, mas antes disso, inteligência e humildade.
De nada serve possuir grande força e pouca inteligência...
Ou seja a momentos na Vida que devemos ser duros e a outros momentos sermos mais Maleáveis, Pense bem se você não precisa realmente mais resistente ou se precisa ser mais maleável com vc mesmo,com as pessoas etc; Domingo agora estaremos falando a Cerca desse assunto creio que será uma grande benção para todos amém!!
Bispo Anderson Camargo.

sexta-feira, 28 de julho de 2017

.A SOLTURA DO JUMENTINHO.                                                                                                           
Lucas 19:28-38 Antes de chegarem a Jerusalém Jesus dá ordem a seus discípulos para irem a uma cidade chamada Betfagé, que ficava ao leste de Jerusalém, perto de Betânia, na encosta sudoeste do monte das oliveiras, cujo nome significa literalmente “casa de figos verdes”, e que não é mencionada em nenhum outro lugar das escrituras a não ser na passagem da entrada triunfal. Jesus disse que quando lá chegassem encontrariam um jumentinho amarrado, e que era necessário que o soltasse e o trouxessem, e que se alguém dissesse alguma coisa era para eles dizerem: O mestre precisa dele! Essa frase iria revelar aos donos do animal a importância de que aquele animal fosse levado.

Assim partiram os discípulos para o local e lá chegando logo avistaram o jumentinho preso e quando eles estavam desamarrando o animal os donos logo viram e vieram e perguntaram o que eles estavam fazendo, ou aonde iriam levar o animal, ou talvez com que ordem eles soltavam o jumentinho. No que tiveram como resposta: O mestre; Jesus; o Senhor, (palavras que indicavam a pessoa direta de Jesus) precisa, necessita do animal. A bíblia não registra nada sobre os donos desse animal, mas se o fizesse eles estariam entre os muitos dos citados em Hebreus 11, pois ao ouvirem que o Mestre precisava do animal, logo creram. Imaginem que fé maravilhosa eles demonstraram ao cederem seu animal “zero bala” para o Mestre, veja por que.

Bem sabemos que cultura é algo extremamente complexo, e os judeus ainda são um povo que guarda suas culturas, aquele animal ao ser chamado de jumentinho denota que era um animal de pouca idade e uma coisa interessante é que naqueles dias considerava-se que um animal que jamais fora usado no trabalho ou montado por alguém era especialmente adequado para propósitos santos como o Eterno já havia dito (veja Nm-19:2; Dt-21:3).

“Não há nada que você entregue a Deus e não volte super valorizado para você, e aquilo que Deus nos dá super valorizado não tem preço.”. Imagine o quanto aquele animal passou a valer depois que Jesus montou nele!

Assim soltaram o jumentinho e o levaram até Jesus que logo montou no animal e entrou em Jerusalém em um dia que marcou a história da humanidade para sempre.   

A palavra hebraica para amarrado é “akedá”, e Jesus mesmo estando longe viu o jumentinho amarrado, mostrando a sua onisciência, o viu seguro por um nó, uma corda que limitava seus movimentos e então Ele manda que seus discípulos soltem o animal. Eu não sei quanto tempo aquele animal esteve preso, limitado, vendo seus pares soltos e livres, mas um dia chegou para ele à soltura, a liberdade.

Jumento no contexto bíblico também é símbolo de obediência, e nosso Senhor não suporta ver um filho obediente amarrado. Eu vim lhe dizer que ainda há uma saída para todos nós. Jesus ainda tem toda a autoridade para soltar as amarras que nos prende. Ele tem poder para livrar qualquer cativo, e soltar e desfazer qualquer nó em nossas vidas agora mesmo.
    
“Quando Jesus desceu do jumentinho com certeza mandou que alguém o levasse de volta a seu dono e o animal foi todo alegre, feliz”,Então ele foi super valorizado porque O Rei Jesus avia montado nele !..Mas ele só teve valor porque Jesus estava nele,Antes estava só e amarrado.

Na verdade nós não somos nada, mas aquele que está em nós é tudo. Ele é quem merece toda honra e toda glória. É por isso que podemos chegar longe, mas não saia de sob a presença de Jesus, Ele é quem faz de nós uma pessoa notada, mas se Ele sair de sua vida, você não é nada.
Bispo Anderson Camargo

quinta-feira, 20 de julho de 2017

AS FILHAS DE ZELOFEADE
“As filhas de Zelofeade falam o que é justo; certamente, lhes darás possessão de herança entre os irmãos de seu pai e farás passar a elas a herança de seu pai.” (Nm 27:7)
A Bíblia relata a história de cinco mulheres especiais, de cinco filhas de Deus que não se conformaram com a condição de exclusão sobre suas vidas e que foram precursoras em sua época. Me refiro as filhas de Zelofeade, as “filhas da herança”
Zelofeade era da tribo de Manassés que acabou padecendo no deserto. Embora não tendo participado daqueles que “congregaram contra o Senhor”, Zelofeade morreu no seu próprio pecado, por acreditar nos espias murmuradores e descrentes(Nm 27:3). Porém diz a Bíblia que cinco de suas filhas achegaram-se a Moisés para reivindicar a herança de seu pai. Até aquele momento, a lei hebraica só concedia direito aos filhos, porém as filhas de Zelofeade não possuíam irmãos.
Diz as Sagradas Escrituras que Moisés levou a causa delas ao Senhor e intercedeu por elas. A resposta do Senhor foi positiva as filhas de Zelofeade.
O livro de Salmos no cap 84 diz que o Senhor não sonegará bem algum aos que andam na retidão, ou seja, que andam retamente (Sl 84:11b).
Por falarem e por viverem uma vida reta diante do Senhor as filhas de Zelofeade alcançaram o favor do Senhor e receberam a possessão por herança da parte do Senhor (Nm 27:7;36:2).
E através da vida e do pedido daquelas mulheres, todo aquele que não possuísse filho homem, sua herança passaria para a filha(Nm 27:8).
* O Nome delas era Macla,Noa,Hogla,Milca e Tirza.
Tanto a história das filhas de Zelofeade, bem como, o significado de seus nomes possuem um significado espiritual para toda mulher que deseja seguir a Deus.
1) Macla – O nome da primeira filha é Macla que significa “confiança“. O salmos 125 diz que aqueles que confiam no Senhor são como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre(Sl 125:1). Toda mulher deve ser “macla”, confiante em seus propósitos, que não se abala com as circunstâncias, nem esmorece ante as adversidades da vida. Macla é a mulher que confia no Senhor e por isso será bem aventurada(Sl 40:4)
2) Noa – Significa “aquela que não se detém“, que ninguém pode deter. É aquele que persevera em oração, que não é morosa, parada, detida ou interrompida. Noa é a mulher trabalhadora, que persevera em seu propósito e em conhecer Deus. É aquela mulher que crê até o fim, até que o plano de Deus seja cumprido em sua vida e sob aqueles que o cercam. É a mulher determinada e cheia de fé como a sunamita dos tempos de Eliseu (2 Rs 4:8-37).
3) Hogla – Significa “aquela que não anda com os pés amarrados” . Que não está amarrada aos cuidados deste mundo, mas que anda pela fé em Deus todos os dias de sua vida. Por não ser “amarrada” se assemelha a um “navio mercante que sai de um lugar a outro trazendo mantimento a sua casa (Pv 31:14-15) Hogla é a mulher abnegada, desprendiosa e fiel a Deus
4) Milca – Milca significa “aquela que tem autoridade“. Existe diferença entre ter autoridade e ser autoritária. Milca representa a mulher com autoridade sem ser insubmissa. Uma mulher respeitada por seu marido, por seus filhos e por sua comunidade (Pv 31: 28-31)
5) Tirza – Por fim, Tirza, que significa “deleite“, a delícia da vida e prazer de Deus. É a menina do seus olhos como Israel , a noiva(Igreja). “Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração.” (Sl 37:4)
Certamente elas conversando entre si e dizendo uma pra outra: Vamos lutar pelo que nós confiamos, com coragem! Precisamos mostrar a todos que confiamos no Deus a quem nós servimos, não é a toa que meu nome significa CONFIANÇA, a outra diz isso mesmo, não podemos ficar aqui paradas, não vamos nos DETER, pois não estamos com nossos pés amarrados, vamos lá falar agora mesmo com Moisés. Então elas vão até lá, mesmo correndo o risco de serem apedrejadas pois lá havia muita gente, estavam numa reunião com Moisés, os príncipes, o sacerdote, mas elas se arriscaram mesmo assim. Porque naquela época as mulheres não tinham direito de falar e muito menos numa reunião para decidir as posses de terra, elas vão destemidas e com ousadia.Quem fala é Milca, a que tem AUTORIDADE. Então Moisés as escuta e diz: Esperem aqui, que eu vou aqui ter um particular com Jeová, vou falar com o meu Deus e volto já com a resposta. E enquanto Moisés está falando com o Senhor, parece que posso ouvir os cochichos dos que estavam ali, dizendo: elas não já sabem que não tem direito, como elas tem coragem de vir aqui, a lei diz que elas não vão receber nada, porque são mulheres. E grande foi a surpresa pra muitos quando Moisés volta com a resposta. Porque alguém já olhava pra elas como quem diz: Coitadinhas delas, não tem direito! Mas a resposta de Deus foi impactante! Deus manda Moisés mudar a lei pra dar vitória as filhas de Zelofeate. E Moisés chama as cinco e parece que vejo Moisés olhar nos olhos de Tirza e dizer descansem, se DELEITEM pois será dado a vocês a herança de vosso pai. E elas se abraçam felizes e grande foi a emoção, elas diziam, eu tinha certeza que Deus estava do nosso lado.
Nosso Deus é o justo Juiz, e a tua causa entrega perante o Senhor, assim como Moisés entregou ao Senhor a causa daquelas mulheres. Por causa delas até quem não tinha direito, agora vai ter. Porque assim estava escrito: “Quando alguém morrer e não tiver filho, então fareis passar a sua herança à sua filha. E, se não tiver filha, então a sua herança dareis a seus irmãos. Porém, se não tiver irmãos, então dareis a sua herança aos irmãos de seu pai.
Se também seu pai não tiver irmãos, então dareis a sua herança a seu parente, àquele que lhe for o mais chegado da sua família, para que a possua.” (Nm 27:8-11).
Deus muda lei, quebra protocolo mas dá vitória a quem é filho seu. Até o último da fila vai receber, não importa se você estava no final da fila de espera! Você é herdeiro de Deus, toma posse do que é teu. O direito é teu!
Todas as filhas de Zelofeade receberam a sua herança pela retidão que tiveram a Deus. Seus nome e significados, apresentam cabalmente o relato da mulher virtuosa. Portanto aprenda com elas e como Macla, aprenda a CONFIAR, como Noa, não te DETENHAS, como Hogla, não se AMARRE e vá a luta, pois como a Milca Deus te deu AUTORIDADE e por fim assim como fez Tirza, DELEITA-TE no Senhor porque ele concederá o que deseja o teu coração!!
Bispo Anderson Camargo.

terça-feira, 11 de julho de 2017

Enterre seus “mortos” e siga Jesus!
O primeiro servo disse: Jesus seguir-te-ei para onde quer que fores. Mas Jesus lhe respondeu: As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça. Ao segundo servo disse Jesus: Segue-me! Ele, porém, respondeu: Permite-me ir primeiro sepultar meu pai. Mas Jesus insistiu: Deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos. Tu, porém, vai e prega o reino de Deus. O terceiro servo disse a Jesus: Seguir-te-ei, Senhor; mas deixa-me primeiro despedir-me dos de casa. Mas Jesus lhe replicou: Ninguém que, tendo posto a mão no arado, olha para trás é apto para o reino de Deus. Lucas 9:57-62.
O texto acima a princípio parece muito severo, porque Jesus é enfático quando afirma que aquele que deseja segui-lo deve deixar tudo para trás, casa, conforto, bens, famílias e mortos. Mas para entender melhor esse texto, é necessário considerar os contextos dos ensinamentos de Jesus. É claro que Deus quer que cada um cumpra com suas responsabilidades sociais e familiares, mas dentro do contexto devemos ter em mente que Jesus quer trazer para fora, do nosso interior, tudo o que nos IMPEDE, momentaneamente, de segui-lo. Jesus nunca ocultou o que se requer daqueles que Ele chama para segui-lo, e os maiores obstáculos não se encontram no caminho a percorrer, mas nos corações e almas; para nos ajudar a descobri-los, o Senhor traz o entendimento sobre quais são os verdadeiros “mortos” que impedem o povo de Deus de segui-lo. No texto acima encontramos três perfis de servos, mas somente um recebeu o chamado para seguir Jesus, mas este tinha algo para resolver antes de segui-lo, ele precisava enterrar o seu morto.
O termo “enterrar seus mortos” vai além do ato de sepultar cadáveres, é algo que está ligado diretamente ao mundo espiritual e ao sacrifício de Jesus Cristo na cruz. Jesus morreu, justamente, para matar tudo aquilo que nos faz mal! Jesus morreu para MATAR, DESTRUIR, EXTINGUIR e VENCER as maldições, as enfermidades, as mágoas, as amarguras, as angustias, os sofrimentos, a rejeição, as dores da alma, o pecado e a própria morte. Tudo o que nos impede de alcançar a salvação foi morto na cruz juntamente com Cristo, mas somente Jesus Cristo ressuscitou. Aleluia! Cristo consumou o Seu sacrifício morrendo para nos libertar, e agora precisamos consolidar o Seu sacrifício, “enterrando os mortos que Jesus matou na cruz”, e que insistem em permanecer vivos, como fantasmas, assombrando nossas as vidas e nos impedindo de seguir os passos de Jesus.
Perder alguém que amamos é algo doloroso demais, principalmente para aqueles que acreditam que a morte é o fim, mas para o Cristão deve ter um peso diferente; porque em 1º Tessalonicenses 4:13 e 14, diz que: não devemos ser ignorantes acerca dos que já morreram, para que não nos entristecemos como os demais, que não têm esperança. Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele. Existem pessoas cristãs que choram por “seu morto” há anos e não conseguem superar a dor; relutam em sepultar a dor e a revolta que os consomem dia e noite. Muitos preferem tornar-se escravos da INCONFORMIDADE e SOFRIMENTO, do que aceitar a morte e abandonar o LUTO. Aceitar a morte não é um processo fácil, mas é possível; basta crer que Deus é poderoso para ajudá-lo a enfrentar esse momento com mais serenidade e FÉ.
Para vencer a revolta e a dor é necessário abrir o coração e deixar Deus trabalhar; após a cura a saudade se tornará num sentimento de boas lembranças e o Espirito Santo devolverá a alegria de viver. O cristão precisa aceitar que Deus é Senhor absoluto dos vivos e dos mortos.
Existem outros tipos de “MORTOS” que escravizam os servos de Deus, a amargura, a mágoa, o pecado não confessado e a falta de perdão. Esses sentimentos aprisionam a alma e geram morte espiritual e física; existem estudos que comprovam que amarguras e falta de perdão desenvolvem doenças psicossomáticas e até mesmo o câncer. O próprio salmista Davi escreveu que: Quando calei o meu pecado envelheceram os meus ossos. Geralmente a mente é levada cativa por forças do mal, geralmente quando somos feridos por alguém ou passamos por frustrações, e se não conseguimos superá-las, somos atropelados por danos psicológicos, as chamadas doenças da alma e ficamos aprisionados.
Existem pessoas que alimentam os “seus mortos” todos os dias, como se fossem uma planta que precisa ser regada para não morrer. Pessoas que usam os “seus mortos” como uma motivação para as suas vinganças pessoais, principalmente na área conjugal. Muitas esposas guardam mágoas de seus maridos por não ter conseguido liberar perdão e permitem que a amargura se torne sua conselheira. Maridos feridos deixam de tratar suas esposas com honra e carinho e fazem da indiferença uma muralha invisível entre o casal. Filhos que não falam com seus pais por causa de ressentimentos não superados e pais que não se importam mais com seus filhos rebeldes.
Apesar de todo esse caos emocional, causado pelas dores da alma, a situação ainda pode piorar. Existe outro tipo de “morto” que escraviza a alma e fere o corpo, as enfermidades! Os servos de Deus têm sido hospedeiros desse “morto” que já foi vencido por Jesus na cruz. Muitas pessoas clamam a Deus pedindo a cura, e não recebem porque não tem o entendimento de que Jesus já venceu as enfermidades, não podemos pedir algo que já nos pertence!
Amados, viver carregando os “mortos que Jesus matou na cruz” é ignorância! As mágoas, amarguras, falta de perdão e enfermidades são defuntos em estado de putrefação que precisam ser “enterrados”! Os filhos de Deus precisam entender que todos esses “mortos” já foram mortificados com Cristo na cruz e a insistência em carrega-los é uma atitude que invalida o sacrifício de Jesus Cristo. Como servos de Jesus temos que entender essa verdade e partir para ação!
O primeiro passo é crer, o segundo é identificar os mortos que precisam ser enterrados, o terceiro passo é partir para o ataque! “Enterrar os mortos” e uma atitude de fé; basta fazer uso da autoridade que Jesus nos deu, e ordenar ao diabo que, pegue os seus restos mortais e caia fora da mente, do corpo e da vida! Somente assim os servos de Deus ficarão sarados e livres para seguir Jesus.
Para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías, que diz: Ele tomou sobre si as nossas dores e nossas enfermidades, e levou as nossas doenças. Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. Mateus 8:17 / Romanos 8:1.
Bispo Anderson Camargo.

terça-feira, 4 de julho de 2017

Aprendendo com a menina da Casa de Naamã.
E saíram tropas da Síria, da terra de israel e levaram presa uma menina que ficou ao serviço da mulher de Naamã.
E disse esta à sua senhora: Antes o meu senhor estivesse diante do profeta que está em Samaria; ele o restauraria da sua lepra.
2 Reis 5:2,3
Podemos aprender muitas lições com essa jovem que foi levada cativa para casa de Naamã, era uma condição que nenhuma jovem gostaria de estar, com certeza ela tinha seus sonhos, seus projetos, mas tudo isso foi interrompido quando ela foi levada como escrava.
Ela poderia ter se revoltado e ter ficado de um certo modo decepcionada com Deus, mas sua fé não era baseada em situações e sim em princípios, mesmo trabalhando como escrava sua fé no Deus de Israel permanecia inabalável.
Podemos observar pelo menos três condições adversas na sua vida.
Ela estava separada da sua família
Era muito comum naquela época isso acontecer, sempre quando alguém era levado como escravo, o povo dominante costumava fazer essa separação.
Ou seja sei pai, sua mãe, seus irmãos caso ela tivesse, não estavam ao seu lado para lhe dar uma palavra de instrução ou conforto, mas o Senhor estava com ela e isso já era suficiente.
Ela estava servindo como escrava.Ela era líder de suas emoções, Ela não se deixou se abater por nada, ELA NÃO É ESCRAVIZADA PELA DOR DA ANGUSTIA, É SERVA DA SUA MISSÃO !!!!...
Imagine você ser forçado a trabalhar onde você não quer, e fazer aquilo que você não quer, assim era a situação dessa jovem, poderíamos até mesmo aprofundar um pouco sobre como era a vida de um escravo nesse tempo, mas esse não é nosso proposito.
Ela estava em terra estrangeira
E pra ela era difícil, pois era filha de Abraão e herdeira da promessa, sua vida foi impactada por essa mudanças, ela não estava com seu povo , ela não estava na sua casa.
Mas mesmo com todas essas adversidades ela deu testemunho do seu DEUS.
Podemos destacar 3 qualidades espirituais dessa jovem.
Uma jovem cheia do amor de Deus
Quando Deus ordenou que o profeta Jonas anunciasse uma mensagem de salvação aos ninivitas, ele se revoltou contra Deus, pois achou que Deus estava sendo injusto em querer salvar aqueles que eram considerados inimigos de Israel.
Uma posição completamente reprovável pois Deus é amor e misericórdia.
Essa jovem poderia ter pensado assim:
“Naamã é inimigo e opressor do meu povo, deixa esse maldito morrer de lepra “
Mas ela não fez assim, mas demonstrou seu amor ao próximo ao pregar sobre o Deus de Israel para Naamã e sua esposa.
Uma jovem de Fé
Essa jovem mostrou quão firme era sua fé no Senhor, imagine se Naamã não tivesse encontrado a cura para sua lepra, como ela ficaria diante do seu senhor.
Mas ela tinha convicção e certeza que o Deus de Israel tinha poder para curar a Naamã, ELA NÃO É ESCRAVIZADA PELA DOR DA ANGUSTIA, É SERVA DA SUA MISSÃO !!!!...
Ela não duvidou no poder do seu Deus, Deus honra quem tem honra e sem fé é impossível agradar a Deus. (Hb 11:1)
Uma jovem cheia de Ousadia
Geralmente os escravos era limitados ao falar com seus senhores, mas o verso 6 nos demonstra sua ousadia em pronunciar a palavra de Deus.
Ela não se intimidou mas proclamou sobre seu Deus com fé e autoridade.
Infelizmente a bíblia não cita seu nome , e nem mesmo o que aconteceu com ela depois que Naamã foi curado, mas posso imaginar que sua situação na casa de Naamã foi transformada.
NUNCA SEJA ESCRAVO(A) DAS ANGUSTIAS,TRISTEZAS,ETC SEJA SERVO DA SUA MISSÃO CONTINUE FALANDO DE DEUS EM TODAS E QUAISQUER SITUAÇÃO DE SUA VIDA AMÉM !!!
Bispo Anderson Camargo.

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Quem nunca esteve debaixo de um pé de Zimbro um dia ?
Texto: 1Reis 19. 1-8
O profeta Elias depois de ter desafiado e vencido os profetas de Baal, sofre uma frustração imensa por ver que a rainha Jezabel e o Rei Acabe não havia se rendido ao Deus de Israel e nem reconheceria o seu ministério, pelo contrário sofreu uma ameaça de morte. Com isso o profeta Elias sai para o deserto e lá se interioriza em uma terrível depressão debaixo de um pé de zimbro. 
O zimbro é uma especie de pinheiro da familia das pinaceas, atinge 5 metros de altura, seus frutos nascem porém o amadurecimento dura em torno de 3 anos, suas folhas são espinhosas e servem como aromatizante é exatamente debaixo dessa árvore que se encontra o profeta do fogo.Mas quais os tipos de problemas que nos leva pra debaixo do pé de zimbro?
I- TIPOS DE PROBLEMAS QUE COLACA-NOS DEBAIXO DO PÉ DE ZIMBRO:
a) A perseguição -V.2
b) A frustração - V.4
c) O desânimo - V.6
II- A POSTURA NEGATIVA DOS QUE ESTÃO DEBAIXO DO PÉ DE ZIMBRO.
a) "Assenta-se" - postura de cansaço V.4 - antagonico a Miquéías 2.10
b)"Já Basta" - O verbo tá no presente, próprio de quem só vê o momento inóspido.
c)"Não sou melhor que os meus pais" - Baixa auto-estima.
d)"Deitou-se"- V.5
e)"Dormiu"-V5
f)"Pediu para si a morte". mas um passo egocêntrico.
III-AÇÃO DE DEUS PARA NOS TIRA DE DEBAIXO DO PÉ DE ZIMBRO.
a) Envia um agente do céu - "um anjo lhe tocou". V.5
b) Ele nos alimenta - "Pão cozido em brasas" V.6
c) Ele nos sacia - "...uma botija de água..." V.6
d)Insiste em nos ajudar - " e o anjo tornou pela segunda vez". V.7
e)Aciona-nos - "Levanta-te".
f)Nos insientiva - (Não acabou) "muito longo é o teu caminho"V.7
IV- ATITUDE DE QUEM SAI DE DEBAIXO DO PÉ DE ZIMBRO.
a) Levantar-nos - "levantou-se..." V.8
b) Alimenta-se - "...e comeu e bebeu..."
c) Caminha - "...com a força daquela CAMINHOU..." 
d Chega ao lugar certo - "...chegou ao Horebe, o monte de Deus."
Conclusão: Hoje é dia de sair de debaixo do zimbro da sua existência e chegar ao lugar em que Deus quer que você chegue.
Bispo Anderson Camargo.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

OS PLANOS DO SENHOR SÃO MAIORES DO QUE OS NOSSOS.
Lucas 1.5-7
Nos dias de Herodes, rei da Judéia, houve um sacerdote chamado Zacarias, do
turno de Abias. Sua mulher era das filhas de Arão e se chamava Isabel. Ambos
eram justos diante de Deus, vivendo irrepreensivelmente em todos os preceitos e
mandamentos do Senhor. E não tinham filhos, porque Isabel era estéril, sendo eles
avançados em dias.
Isabel é descrita no livro de Lucas como uma mulher de integridade e obediência,
Sendo filha e esposa de sacerdote, viveu uma vida reta, apesar de sofrer em silêncio por
causa de sua impossibilidade de gerar filhos.Quem foi que disse que crente fiel não passa por algumas impossibilidades?. Mas Isabel nunca deixou de sonhar e crer no
Senhor, ou seja, Izabel fez o que muitos não fazem colocou sua fé acima de sua realidade, até
que um dia o Anjo do Senhor apareceu a Zacarias (Lucas 1.13) e lhe deu a notícia tão
esperada,As vezes as noticias de Deus não vem do jeito que a gente imagina,veja a noticia veio quando Zacarias estava servindo a Deus, Eu aprendo que quando pedimos algo a Deus,Ele quer que sirvamos a Ele de todo coração amém, Então Gabriel disse que sua esposa teria um filho e se chamaria João.Isso aconteceu enquanto Zacarias estava exercendo o sacerdócio, Você quer resposta de Deus sirva Ele!.
Zacarias e Isabel buscaram agradar, servindo ao Deus do impossível. Deus
possibilitou Isabel a ter seu desejado filho, e fez ainda mais, João se tornou um grande
pregador da mensagem de arrependimento e o precursor do messias. Jesus disse que não
havia ninguém maior do que o filho de Isabel. (Leia Mateus 11.11). Nesta palavra,
percebemos quão grande é o Senhor, Ele sempre nos surpreende, mesmo sem merecer muitas
vezes, Ele faz milagres e nos dá tudo que precisamos para vivermos uma vida tranqüila nesta
terra.
Nunca desista de seus sonhos.
Diante de tantas dificuldades e impossibilidades para todas as direções que olhamos, muitos
têm enfrentado a vida com um sentimento de derrota e fé decadente, mas o Espírito Santo
sempre nos lembra que Deus cuida de cada um de nós com profundo amor. Deus não nos
prometeu que não enfrentaríamos dificuldades, mas sim que estaria conosco ao passar por
elas. Quando passares pelas águas, eu serei contigo; quando, pelos rios, eles não te
submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá
em ti. (Isaías 43.2). Isabel confiou em Deus, ele a recompensou, sem dúvida alguma, ela
ensinou seu filho nos caminhos do Senhor pelo seu exemplo de fé (Lucas 1.15). João cumpriu
com seu propósito, sua humildade diante dos homens o fez grande diante de Deus.
Há vários tipos de infertilidade que podem nos deixar tristes.
Isabel não podia gerar filhos! E na sua vida, o que você não tem visto prosperar? É seu
casamento, vida financeira, saúde, trabalho, ministério? Provavelmente Isabel tinha motivos
para ser uma pessoa decepcionada com a vida, mas ela decidiu permanecer firme na fé, pois
ela sabia que Deus é muito mais poderoso que qualquer dificuldade!
Nunca desanime! Siga em frente! A Bíblia nos manda confiar em Deus. Entrega o teu
caminho ao SENHOR, confia nele, e o mais ele fará. (Salmos 37.5). Busque ao Senhor
de todo seu coração, confie nEle, pode até demorar um pouquinho, mas no tempo certo o
Senhor vai te surpreender e a infertilidade não mais fará parte de sua vida. Amém!
Bispo Anderson Camargo.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Jesus Ungido em Betânia
"Então Maria, tomando um arrátel de unguento de nardo puro, de muito preço, ungiu os pés de Jesus, e enxugou-lhe os pés com os seus cabelos; e encheu a casa do cheiro do unguento" Jo 12:3

Maria esteve ansiosa pela chegada do Mestre. Arrumou a mesa, ajudou a preparar o jantar, vestiu sua melhor roupa e com cuidado colocou o pequeno frasco do valioso e perfumado nardo puro bem protegido em suas vestes. Ninguém usaria aquele perfume, nem mesmo saberia de sua intenção em ungir Jesus. Certamente a fariam desistir, ofereceriam um bom dinheiro pela mercadoria importada embalada em caixa de alabastro e usada somente em ocasiões especiais.

Ela reuniu uma quantia bem elevada, referente a 300 dias de trabalho (Jo 12:5) , pensando em agradar Jesus. Se esforçou, economizou, trabalhou dobrado, e sonhou com o dia em que ungiria os pés do seu Mestre, daquEle que a amava de tal forma que a fazia se sentir digna, especial. Maria, fora transformada pelo amor. Enquanto esfregava seus cabelos umedecidos de perfume nos pés de Jesus, seu espírito contrito em silêncio confessava os pecados, em humildade, em reconhecimento, em amor e adoração.

Ela não falava mas Jesus, recebia seu gesto carregado de palavras e sentimentos. No Evangelho de Marcos está escrito: "Maria quebrou o vaso e derramou sobre a cabeça de Jesus"Mc 14:3. Faltavam apenas seis dias para a Páscoa e o gesto de Maria tinha significado profético: O Cordeiro estava sendo ungido para o sacrificio. No antigo Testamento o oléo era derramado sobre a cabeça, como forma de remédio, de nova unção. Reis e sacerdotes participavam do rito com oléo antes de assumirem suas funções. Foi assim com Davi. Ele recebeu oléo sobre a cabeça, derramado pelo profeta Samuel (I Sm 16)

Maria não escolheu um perfume qualquer, ela escolheu o melhor perfume! Reconhecia que Jesus era o Messias, o Salvador. Ele já estava anunciando Sua morte entre seus discípulos, Maria era sabedora disto. Ao ungir Jesus a partir da cabeça, ela revelou a vontade de Deus Pai. Ela confessou ser Jesus O Rei dos Reis, O Sumo Sacerdote o Salvador, aleluia!! Seu gesto de uma fé incomum! Nenhum dos homens ali presentes foram capazes de absorver a mensagem contida no gesto de Maria. Ela a profetiza, Jesus, o Rei. Assim como Samuel e Davi.
O que me chama a atenção é que no capitulo 11.38 de João fala da ressurreição de Lazaro quando o mesmo já estava morto a quatro dias,Quem deveria adorar mais no capitulo 12 ???..Não seria Lazaro ? Pelo fato do Senhor Jesus ter tirado ele de uma tumba fria, Penso que existe muitas pessoas assim nos dias de hoje também!..Que deveriam adorar muito mais e não adoram, Onde está Lazaro vc não acha que ele deveria ser o maior adorador nesse dia?
Veja quem adorou mais.

"E enxugou-Lhe os pés com os seus cabelos; e encheu-se a casa com o cheiro do unguento" Jo 12:3

Maria já compreendia essa mensagem. A adoração de Maria tomou conta daquele lugar. Maria, inscrita no Livro da Vida, elogiada por Deus, estaria para sempre como um memorial diante das Nações: "Em verdade vos digo que, onde quer que este Evangelho for pregado , em todo o mundo, também será referido o que ela fez em memória de mim" Mt 26:13.

Minha morte, foi a minha vida: "Se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto" Jo 11:24. Maria de Betânia festejava não só o sacrificio do Cordeiro, mas a sua própria morte e a nova vida que ressurgia dentro dela como o mais precioso perfume. Ela não se importou com as critícas, com os olhares de censura, com os cochichos, ela só olhou para O Mestre. Ele foi o Seu alvo. Chamara-na de louca, de insensata mas ela não se importou. Parecia que estava no Paraíso, perto do Seu Amado.

A verdadeira adoração nos aproxima cada vez mais de Deus. É a cura da alma, o refrigério. A satisfação de Maria em servir também deve ser a nossa. A entrega total da vida, dos bens. Para que aquele perfume fosse extraído e ajuntado em um frasco, houve morte da planta, houve suor de Maria.

Betânia, em Hebraico significa "casa do aflito". Ao aflito é dito: Ajunta nardo precioso, sobe a Betânia e adora ao Mestre e a cura, a Salvação virá. Amém.
Bispo Anderson Camargo.